domingo, 26 de fevereiro de 2012

Um lugar seguro e eterno

"Por que escrevo? Porque é minha vingança contra todas as palavras e sensações que morrem todos os dias mostrando pra gente que nada vale de nada." Tati Bernardi
Porque vale e talvez em alguma das nossas palavras, nesses textos aleatórios, tenha um lugar seguro, onde lembranças nítidas procuram um equilíbrio junto a fé.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

A menina tem sentido uma porção de coisas estranhas, sabe? Não acho que seja algo tão inaceitável, mas também não vou fingir que é algo normal. Apesar desse meu lado que nem eu suporto, será que alguém acreditaria que a menina forte e aparentemente independente está precisando de uma palavra boa, um abraço daqueles que só você sabe dar? A menina também não gosta muito de falar tudo isso, mas às vezes é preciso. Tem coisas que se não falarmos ou perguntarmos, nunca vão ter uma resposta... Sei o que quero fazer... E quero só que esse sentimento meio ruim passe... e...

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Nos seus olhos eu vejo a verdade

(...) Mas eu sabia que ele procurou algo nos meus olhos, nos meus gestos. Talvez nem tenha achado aquilo que estava procurando, mas eu sei que achou algo. E nos seus olhos, além do reflexo dos meus, eu achei a exatidão profunda de quem observa. Achei a risada e o tom de voz alegre de quem consegue achar o lado bom das coisas.(...)

sábado, 18 de fevereiro de 2012

"Podia me ler com a maior facilidade"

Ri tímida e ao mesmo tempo descontraída quando senti que estava me entregando de novo no que eu escrevia - embora eu saiba bem que nem todos vão reparar, ao contrário, poucos, para não dizer apenas um. Mas não há problema, não é mesmo? Se apenas uma pessoa foi escolhida para ler as entre linhas, eu não vou lutar contra, ao contrário, deve ter um lado bastante positivo nisso tudo (continuo acreditando nessa força que o universo tem). Logo eu que sou meio fechada, antipática, confesso que acho reconfortante. Ter alguém que leia os textos não é tão difícil (bom, no meu caso, um pouquinho), mas alguém que me leia, alguém que possa me ler através desses textos é no mínimo curioso. Curioso naquele sentido bom, sabe? Que as pessoas ficam se perguntando, não por quererem uma explicação ou um significado exato, mas por ser tão bom que nem parece real. Não que "me ler" signifique saber absolutamente tudo sobre mim, ainda estou aprendendo a me expressar (ou reaprendendo depois de desaprender), erro de um modo feio, mas tento. E a cada novo texto, saibam que é uma nova tentativa.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

And don't you know that is just you?

Grande erro meu, parece que só sei complicar tudo. Não é um hábito saudável, e eu não escolhi ser assim. E esse fato de complicar tudo nunca ajudou em nada, eu sei. Parecia inacreditável que TUDO que eu quero se resumisse em dez palavras, eu sei que as coisas simples são as melhores, mas eu nem conseguia explicar, porque era só isso e ainda é só isso.
Sabe, acho que até as coincidências estão destinadas a acontecer. Mas uma pessoa destinada a ganhar na loteria, só terá o destino concretizado a partir do momento que ela comprar os bilhetes. E talvez ela tenha que apostar eternamente nos mesmos números até o dia que ganhará.
Eu sei o que é o melhor pra mim, e eu sei o que eu quero. E encontro facilmente nos teus olhos. (...)

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Aquela noite em que eu te conheci...

eu acho que nunca vou esquecer.
Hoje eu reparei o quanto meus passos ficam lentos quando eu não sei pra onde estou indo, foi o que senti quando me despedi. Ironia do destino que horas antes a gente tenha conversado sobre o destino versus livre arbítrio, e que cada caminho que tomamos é resultado das nossas escolhas. E eu não te falei muita coisa, não é?
Bom, eu estou escrevendo agora e é pensando em ti. Talvez isso possa parecer meio errado, sabe? Talvez eu devesse te falar isso de uma outra forma, mas já me disseram que a maneira pela qual melhor me expresso é a escrita, e tu sempre me apoiou nisso, e eu acredito, acredito que minhas palavras podem fazer diferença.
Às vezes a gente toma decisões ruins, achando que está fazendo o certo. Às vezes a gente opta pelo que achamos ser o certo e deixamos de lado o que queremos, eu pensei no que seria melhor, não é de agora, faz tempo. Coincidentemente o melhor e o que eu quero, são as mesmas coisas.
O filme assustou um pouco, mas o susto passou quando eu percebi que aquela "certeza" da qual a moça falava, já estava comigo desde quando te conheci.
Sei que errei, e mesmo que tivesse sido só nos detalhes não passaria despercebido. Mas eu fiz uma promessa, que vou cumprir, e não por obrigação, simplesmente porque é o que eu quero, e é o que eu acho certo.
Nossa força pode ser usada, e nós podemos lutar juntos. E juntos podemos conseguir tudo.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

parte do segredo do universo

Faz tempo que tenho me policiado. Ando tomando um certo cuidado com as palavras, com as atitudes, com os olhares... se não estivesse acontecendo comigo, talvez eu nem acreditasse que fosse possível ter tanta certeza do que se quer e do que se pensa e mesmo assim não demonstrar isso, não conseguir demonstrar isso. Ou saber, mas agir sem pensar, ou deixar de agir. No meio disso tudo guardo uma certeza esquisita, sabe? Às vezes não sei bem os motivos, ou mesmo sabendo os prós e contras, eu ainda sinto essa certeza. Sem saber muito dos porquês, ou sabendo e não entendendo, ou sabendo e entendendo, é apenas o que eu sinto. E se por algum motivo o destino resolveu que eu deveria sentir isso, perda de tempo seria ignorar, vou tentar ir trilhando meus caminhos e levando essa sensação comigo, lutando aos pouquinhos. De novo deixei de dizer muito do que gostaria aqui, e nas coisas que mostrei, apenas espero não ter me expressado mal, ou que não me entendam mal. Talvez eu consiga expressar tudo isso na fala, ou talvez novamente ela me traia. Mas sigo acreditando do modo como gostaria de ser acreditada. (...)

sábado, 11 de fevereiro de 2012

you know I believe and how

O que nos sustenta é o amor. Clichê, não é? Não. Apenas simples. O que nos sustenta é o olhar compreensivo de quem observa atentamente, o sorriso espontâneo de quem demonstra fé e todas aquelas coisas que pra muitos passam despercebidas, mas são as mais importantes. E que às vezes vem de onde menos esperamos, já que muitas vezes é aquela pessoa que ninguém conhece de verdade e que outros fazem comentários maldosos que vai te mostrar nos detalhes que é infinitamente mais do que aquilo. Às vezes essas mesmas pessoas podem causar reações meio estranhas, mas é preciso acreditar, não é? É preciso manter a confiança espontânea  naquilo que amamos. E pode até parecer forçado para alguns, mas é porque poucos sentem e entendem, mas pra quem sente, apenas acontece. E é verdadeiro. E só a gente sabe.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

sábado, 4 de fevereiro de 2012

E eu fico pensando às vezes, sei lá, a quem estamos tentando enganar? Não preciso te procurar, eu te acho mesmo sem. Te tenho e te penso de um jeito tão completo que não falta mais nada, ou melhor, falta sim. Falta porque parte de mim ainda é criança insegura, que quer ouvir de novo a história da Cinderela, só pra ter certeza que acredita mesmo nela. Falta porque parte de mim é gente adulta, que não acredita muito nesses finais felizes e me manda parar de sonhar. Se eu fosse total, sem me dividir em partes, nada disso aconteceria, mas aconteceria algo pior, eu não seria eu. Mas sei lá, to meio errada nisso tudo, né? To montando um daqueles quebra-cabeças de mil peças, sem saber se estão todas aqui. Mas de que outra forma eu poderia fazer isso tudo? Tive que me jogar.